IR 2021: Confira as permissões para dependentes inclusos na declaração deste ano!

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email
Share on print

IR 2021: O que é permitido ou não ao incluir pais, avós e bisavós na declaração

Com objetivo de ampliar as deduções do Imposto de Renda Pessoa Física (IRPF), muitos declarantes incluem idosos como dependentes, o que exige cuidados, pois o tiro pode sair pela culatra, ao invés de reduzir o imposto a pagar ou aumentar a restituição a receber, o efeito pode ser contrário e causar ônus.

Conforme a legislação vigente, pode ser incluído como dependente na declaração do Imposto de Renda, pais, avós, bisavós e sogros (na declaração conjunta do casal) que tenham auferido durante o ano de 2020 o rendimento anual de até R$ 28.559,70 cada dependente.

A King Contabilidade apresenta o que é permitido ou não declarar, acompanhe:

  • É possível declarar pais, avós e bisavós que tenham recebido rendimentos de até R$ 28.559,70(confirmar valor) em 2020. Acima deste valor estão excluídos de serem apresentados como dependentes.
  • No caso destes antecedentes serem considerados totalmente incapazes, mesmo com rendimentos superiores, poderá ser incluído na declaração como dependente.
  • Podem ser lançados os Gastos com saúde dos dependentes idosos como: psicólogo, fisioterapeuta, fonoaudiólogo, terapeutas ocupacionais, despesas hospitalares, exames laboratoriais, serviços radiológicos, aparelhos ortopédicos e próteses ortopédicas ou dentárias, despesas médicas não tem limite. Lembrando que é necessário a apresentação de todos os recibos que comprovem os gastos acima relacionados.
  • O dependente idoso que aufere aposentadoria, alugueis, investimentos ou qualquer outro tipo de renda, é obrigatório que apresente estes rendimentos na declaração, reforçando que a soma destes rendimentos não poderá ultrapassar R$ 28.559,70

Mas atenção, o contribuinte está obrigado a informar todos os rendimentos de cada dependente, correndo o risco de aumentar a base de cálculo elevando o imposto a pagar ou diminuir o valor da restituição.

Fique ligado e peça orientação para quem entende do assunto.

PARA MAIS INFORMAÇÕES ENTRE EM CONTATO CONOSCO

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email
Share on print

Deixe um comentário!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *



Aqui você terá dicas incríveis sobre: contabilidade, finanças, planejamento tributária e empreendedorismo, além de ótimos conteúdos motivacionais. Cadastre-se agora!
Recomendado
4 passos para uma campanha de arrecadação de recursos efetiva…
Open chat