Perguntas e Respostas

 

QUAIS DOCUMENTOS DEVO ENVIAR A REVICONT?
Deverá ser enviado a Revicont as Reduções Z, as notas fiscais emitidas e as notas fiscais de compra de mercadoria.

COMO ACOMPANHAR O MOVIMENTO DIÁRIO ?
A pessoa encarregada de operar o Equipamento Emissor de Cupom Fiscal pode a qualquer tempo informar a Gerência sobre o montante faturado até determinada hora , permitindo assim uma avaliação " just Time " da evolução das vendas e que se faça com relativa segurança a projeção do movimento mensal. Essas informações são obtidas através da Leitura X , que poderá ser emitida em horários combinados.

CUPOM FISCAL COM VALOR ERRADO . O QUE FAZER ?
Se o erro for percebido logo após a digitação de algum item , é possível fazer o cancelamento somente daquele item , utilizando-se a tecla apropriada. Decorrido um período de tempo maior , é necessário fazer-se o registro de estorno de todo o cupom , utilizando-se a tecla de cancelamento de cupom , informando o respectivo número do cupom cancelado. * As teclas de função podem ter alguma variação de denominação ou utilização , segundo o software do equipamento.

QUANDO DEVE SER USADO O TALÃO DE NOTAS FISCAIS ?
O Talão de Notas Fiscais somente poderá ser utilizado nos casos de força maior ou fortuito , tais como : falta de energia elétrica , quebra ou roubo do equipamento e quando a Nota Fiscal for solicitada pelo cliente , o que lhe é assegurado por Lei..

E QUANDO O CLIENTE EXIGIR NOTA FISCAL ?
Neste caso serão emitidos os dois documentos - O Cupom Fiscal do ECF e a Nota Fiscal . Nas vias da Nota Fiscal , cuja 1ª será entregue ao cliente, serão anotados o número de ordem do Cupom Fiscal e do ECF. Não esquecer de anexar o Cupom Fiscal à via fixa da Nota (Talão) e enviar a Revicont.

ENTREGA EM DOMICÍLIO - TENHO QUE EMITIR NOTA FISCAL ?
É permitida a utilização do Cupom Fiscal na entrega de lanches em domicílio , desde que sejam anotados no verso o nome , o CPF (CNPJ) do cliente e o seu endereço , bem como a data e a hora de saída das mercadorias. * Essa anotação terá que ser feita por meio indelével ( caneta ou máquina de escrever).

QUE OUTROS EQUIPAMENTOS PODEM SER UTILIZADOS NO LOCAL DE ATENDIMENTO AO PÚBLICO E NOS DEMAIS LOCAIS DO ESTABELECIMENTO DO CONTRIBUINTE?
É permitido o uso de máquina calculadora, sem bobina, no "check out", local de atendimento ao público, onde o cliente efetua o pagamento e retira as mercadorias adquiridas. É proibido o uso no "check out" de qualquer equipamento que imprima comprovante a ser entregue ou mostrado ao freguês em substituição ao Cupom Fiscal. É permitido o uso de impressora instalada na cozinha de restaurantes para preparo do pedido efetuado pelo consumidor.


NO CASO DE FALTA DE ENERGIA OU OUTRO MOTIVO QUALQUER QUE IMPOSSIBILITE O USAR O ECF, COMO PROCEDER?

Enquanto persistir a impossibilidade de uso do equipamento, deve ser emitido outro documento fiscal (pode ser a Nota Fiscal de Venda a Consumidor, modelo 2) por qualquer meio, inclusive o manual, com lavratura de termo no Livro Registro de Utilização de Documentos Fiscais e Termos de Ocorrência, modelo 6 (RUDFTO), e no campo "Observações" do Mapa Resumo. Esses documentos emitidos fora do ECF não precisam ser lançados no equipamento quando normalizada a situação e devem ser escriturados conforme disciplina geral contida no Regulamento do ICMS. A retomada do uso do ECF será registrada no RUDFTO para identificação do período em que o ECF ficou inativo e não necessita de autorização ou comunicação ao fisco.

FITA DETALHE É DOCUMENTO FISCAL?
Sim; trata-se da cópia de todos os documentos emitidos no ECF, quais sejam: Cupom Fiscal, Cupom Fiscal Cancelamento, Leitura X, Redução Z, Leitura da Memória Fiscal, Comprovante Não Fiscal, Comprovante Não Fiscal vinculado, Comprovante Não Fiscal não vinculado e Relatórios Gerenciais. Devendo ser arquivado durante 6 anos.

OS ROLOS DE FITA-DETALHE PODEM SER FRACIONADOS POR DIA, PARA FACILITAR O ARMAZENAMENTO, ACONDICIONANDO-OS EM PASTAS?
Não, os rolos de fita-detalhe devem ser guardados inteiros, sem fracionamento, exceto em casos de intervenção técnica do equipamento, com a emissão do respectivo Atestado de Intervenção Técnica em ECF, caso em que é permitido este fracionamento. É pouco usual a quebra do equipamento que tenha passado por controle de qualidade e, caso ocorram mais de cinco intervenções por ano, o equipamento precisa ser avaliado, pois poderá estar inadequado para uso fiscal. O número de intervenções anuais não é uma regra estabelecida em regulamento, mas serve apenas de indício de anomalia do equipamento. Qualquer fracionamento indevido da fita detalhe estará sujeito a penalidades.